domingo, 7 de janeiro de 2007

Lua de Janeiro



Fez-se noite. Lá fora algo chamava por mim. Embrulhei-me na capa e saí, a Lua espreitava tímida por entre as nuvens.

Segui-a.

Por vezes não passava de um mero reflexo, para logo depois resplandecer, prateada, redonda, mágica.

Perdi-me no mundo e nos pensamentos, vagueei sem destino que não fosse o de a seguir.

Vagueei na dor e no prazer, sonhava acordada, caminhando sem sentido e sem sentir, envolta neste pano escuro que não me aquece.

Encontrei-me com os pés na água, onde a Lua se reflectia, brincando. Brincando com a paixão e a vontade que sabe tenho de te ter.
Brincando com a dor e a ansiedade que este mar alimenta.
Brincando para me ver…

Quero ter asas e voar!

30 comentários:

  1. Belo texto Nanny...
    E não tens asas? Então, porque não voas?
    Bjinho

    ResponderEliminar
  2. asas??naaa...arranjo-te umas estrelas cadentes k são um espetáculo...:)

    Ai a lua...fonte de inspiração, de sonhos...como é bom a termos sempre por perto...:):)tipo tu...também é optimo ter-te por perto...:):)

    beijinhos da ci

    ResponderEliminar
  3. Uma gata com asas é tão raro como ver o Porto a perder em casa!


    Dasse!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  4. cara nanny, se reparar, aí nas costas do seu espírito, na direcção do coração de onde palpitaram estas palavras, estão uma asinhas que brilham e crescem à medida que acredita nelas...acredite que elas farão da lua uma meta demasiado próxima...já o sol...poderá queimar...mas vale o risco...

    ;)

    ResponderEliminar
  5. as asas todos temos, o problema é que teimamos em não as usar...

    ResponderEliminar
  6. Ci - venham de lá as estrelinhas que eu estou mesmo a precisar de atravessar o mar!

    Sem sono - pois é, mas olha que acontece! E logo com o Atlético!!! Yupiii vou ganhar as minhas asas!

    Outro - Beemm! Que mansinho veio!
    Eu acredito e qual Ícaro não terei medo de me queimar! Se morrer de paixão, que melhor morte poderei pedir?
    Volte sempre, com desafios ou sem!


    Liertynus - Usemos as nossas e vamos voar juntos!

    ResponderEliminar
  7. (a minha mansidão resulta da vara de ternura com que as suas palavras me acalmaram o ímpeto, levando no sangue do deleite tudo o que de acre poderia resultar de queimaduras baralhadas ou isqueiros mais atrevidamente irritados; sou mansinho por natureza...principalmente a das palavras:)

    deixe-te então levar pelos zéfiros amornados no vislumbre da paixão que a queda, se houver, nunca será suficiente para desanuviar a subida e nem os pingos de dor limparão as réstas de cera agarrados ao sorriso da memória de tal elevação...e acredite...sempre...que a morte de paixão traz sempre uma vida mais desafiante...e reforça a consistência das asas...

    (voltarei sempre que o seu desafio atrase o do relógio ;)

    ResponderEliminar
  8. Excelente...
    A viagem foi boa???


    E não queríamos todos ter asas e voar???

    ResponderEliminar
  9. Nanny a partir de hoje já acredito em tudo, e uma gata com asas acho muito bem( grande Atlético ). Arranja umas também ao Baia.

    ResponderEliminar
  10. « E voas sobre o mar... com as asas que eu te dou... »

    E sou melhor que o Ícaro... *

    ResponderEliminar
  11. Gaja boa2 - a lua tem estes efeitos sobre a gata... uuiiii

    Outro - mansinho, mansinho... passando a mão no lombo da gata... desconfio... (as gatas são desconfiadas por natureza)
    Vá aparecendo, pode ser que me convença!

    Gaja boa 1 - Queriamos, queriamos!

    Hélder - Até tu já a viste, não foi?
    Dá animo á alma! Solta esse gato que há em ti!!!

    Trivialidados - Ao baía arranjava-lhe era um par de patins, que asas são mal empregadas.... hihihi

    Ai Voyeur - Dá-me, dá-me!

    ResponderEliminar
  12. era isto o lombo? tão rigidamente ondulado? pois bem...continuarei a passar a mão até que a desconfiança se desgaste, e antes de desgastar a carne...

    não apareço para a convencer (mas sim para alargar os horizontes da mão)

    ResponderEliminar
  13. Estás mesmo com a Lua!!!
    Agora queres asas??
    É só pedidos dificeis, assim não consigo atender-te!!
    Mas porque não voas de avião como os outros comuns mortais?? Ou apanha o TGV, bolas!!!
    Tu não facilitas nada!!

    ResponderEliminar
  14. Outro - cuidado com os horizontes dessa sua mão, que do lombo não escorregue, senão...

    Trivialidados - hehehe ;)

    Crystalzinho - TGV no oceano???? Tá bem, vou ver!

    Rafeiro - Eu é que te dou uma bela chumbada!!! Levas já com esta telhazita que aqui tenho no bolso...
    Não fujas!!!!

    ResponderEliminar
  15. Junto com as tuas 7 vidas, tens umas asinhas lustrosas, lindas, que te permite voar, bem longe, bem alto...

    um bjo

    C

    ResponderEliminar
  16. rais partam as limpezas...fdsss..agora quem está cheia de pó sou eu...:):)

    beijinhos da ci

    ResponderEliminar
  17. Reparei, tardiamente bem sei, que ainda não tinha linkado a gatucha!!
    Já está.
    Espero que não tenha doído muito, sei lá...

    ;)

    ResponderEliminar
  18. Tenho um desses "outro" lá no meu blog...
    Parecem carraças. Arre!

    Sem ofensa ao outro aqui presente que não me fez mal nenhum...!

    :)

    ResponderEliminar
  19. Cris - benvinda e obrigada pela visita.
    Vou espreitar a ver se as encontro...

    CI - minha linda! Sacode lá a gaita do pó, dassssss!
    Queres um panito? Ou a minha esfregona?
    Vá lá a malta ajuda!

    Aninhas - nem me fales... eu ando completamente atrasada nisso. Nunca mais ponho nos links os meus amigos... mas o que queres, venho aqui e é directa para os comentários... hihihi
    Eu linko-vos, juro que linko - haja tempo!
    E olha lá, acho que este outro é o mesmo! Veio ao cheiro da gata... mas veio manso que as unhas são terríveis!!!

    ResponderEliminar
  20. os horizontes não são para serem travados, são para serem rasgados em cada uma das suas sílabas (mesmo pelas mão...mesmo pelos dedos)

    deixe lá que os astroLÁBIOS tracem o rumo do destino e não invente as tormentas dos senãos...

    ResponderEliminar
  21. (aninhas, este outro é sempre o mesmo, mas ainda não a foi visitar...lá chegará)

    (nanny, anseio por ver essas unhas de fora a rasgarem-me os fracos musculos da sensibilidade...a mansidão é aparente na calma induzida pela forma terna como me toca)

    ResponderEliminar
  22. Outro
    Que as minhas sílabas nunca lhe travem os seus horizontes, dessas mãos, desses dedos ávidos de lonjura.
    Que as minhas tormentas nunca desviem o destino que traçou para os seus lábios (astro ou não).
    E por fim, que os seus músculos da sensibilidade nunca sintam estas unhas, que a mansidão de uma gata é sempre aparente e efémera.
    Beijo-lhe a fronte para que fique em paz

    ResponderEliminar
  23. éfemera será sempre a dureza do nunca (mesmo fincando as aparentes garras da mansidão:)

    ResponderEliminar
  24. Nanny eu não sou gata... mas o luar... não estivesse eu sempre no seu reflexo... e quieta :)
    beijinho :)

    ResponderEliminar
  25. Outro
    Nunca diga nunca, que a mansidão aparente e efémera existe, mas dói como garras que de escondidas se não vêm.

    Ao luar
    Não me abandones... quero essa lua aqui, o mês todinho!!!

    ResponderEliminar

Agora é a tua vez... diz lá!