quinta-feira, 3 de junho de 2010

Casos típicos de Gestão II



Caso 2:

Um réu, condenado a prisão perpétua por assassínio em primeiro grau, consegue fugir ao fim de 25 anos na prisão. Ao fugir, entra numa casa onde dorme um jovem casal.
O assassino ata o homem a uma cadeira e a mulher à cama. A seguir, encosta o seu rosto ao peito da mulher, levantando-se de seguida e saindo a seguir do quarto.
Imediatamente, arrastando a cadeira, o marido aproxima-se da esposa e diz-lhe:

- Meu amor, este homem não vê uma mulher há anos. Eu vi-o beijando-te o peito e quero pedir-te que cooperes com ele e faças tudo o que ele te pedir. Se ele quiser fazer sexo contigo não o evites e finge que gostas. Por favor, não o afastes ! As nossas vidas dependem disso ! Sê forte, minha linda, eu amo-te...

A jovem esposa diz ao marido:

- Querido, estou reconhecida que penses assim! Efectivamente este homem não vê uma mulher há anos, no entanto não estava a beijar-me o peito. Estava a dizer-me ao ouvido que gostou muito de ti e perguntou-me se guardamos a vaselina na casa de banho. Sê forte, meu lindo ! Eu também te amo muito...


Conclusão:
Não estar verdadeiramente informado pode trazer sérios problemas. A informação actualizada e exacta é fundamental para sair com êxito do ataque da competência desleal e assim evitar surpresas desagradáveis.


Sei Lá!

4 comentários:

Agora é a tua vez... diz lá!